A apólice do Seguro Transporte é ajustada após um sinistro?

“Tenho um Seguro de Transporte e gostaria de saber se após um sinistro acontecer, as apólices que contratei podem sofrerem algum tipo de alteração?”

Essa é uma pergunta que nos fazem com muita frequência durante as reuniões.

Vamos te explicar como funciona a Sinistralidade e o que vai acontecer com o seu seguro após um sinistro.

Boa leitura!

O que é sinistralidade no Seguro Transporte?

Sinistralidade se refere ao valor que o Segurado pagou para a Seguradora por uma apólice (prêmio) e o valor que ele recebeu de indenização após um sinistro.

Entendeu? Não? Então vamos por partes.

Os sinistros são renovados anualmente, independente de qual seja segmento. Certo?

Um sinistro vai impactar diretamente o valor de renovação de uma apólice por parte da Seguradora, principalmente se o valor pago de indenização por um sinistro for superior ao valor pago até o momento do sinistro pelo Segurado.

Caso o pagamento da indenização desencadeie um desiquilíbrio entre os valores pagos e recebidos, a renovação do seguro será maior do que aquele que foi pago anteriormente.

Vamos de exemplo?
Digamos que a carga transportada sofreu perda total e foi preciso acionar o seguro no meio do caminho. Quando o tempo de vigência das apólices terminarem e for preciso renová-las, o valor do seguro transporte, ou da própria franquia, pode aumentar consideravelmente.

Então as apólices podem ser revistas durante a renovação do Seguro Transporte?

A resposta é sim.

Existem dois tipos de sinistros para uma Seguradora:

Os Sinistros de valores altos, também chamados de Sinistros de Severidade
Os Sinistros de valores baixos, também chamados Sinistros de Frequência

Quando um Sinistros de Severidade acontece ou existe uma grande recorrência de Sinistros de Frequência, automaticamente a Seguradora envia para o Corretor responsável pela administração do seguro algumas sugestões para reencontrar o equilíbrio financeiro antes da renovação.

As sugestões apresentadas focam em algumas regras de Gerenciamento de Risco que devem ser revistas, além de condições que devem ser seguidas para diminuir e/ou impedir novos sinistros.